Bardzo tanie apteki z dostawą w całej Polsce kupic cialis i ogromny wybór pigułek.

Capitulo7.pmd

Comparação antropométrica e do perfil glicêmico de idososdiabéticos praticantes de atividade física regular e não praticantes Anthropometric comparison and the glycemic profile in elderly diabetics practitioners and non-practitioners of regular physical activity ResumoO objetivo do estudo foi comparar os parâmetros antropométricos e perfil glicêmicode idosos diabéticos tipo 2 praticantes de atividade física regular e não praticantes.
Métodos: O estudo, do tipo transversal, envolveu 70 idosos com diabetes mellitustipo 2, com idade entre 60 e 80 anos. A coleta de dados foi através de questionárioestruturado abordando: a) características demográficas dos pacientes (idade e nível Palavras-chave: Idoso.
de escolaridade) e b) características do padrão de atividade física (frequência, duração (min) e tempo (meses) da prática de exercícios físicos). Foram realizadas medidas antropométricas e verificação do perfil glicêmico (glico-hemoglobina).
Os dados foram analisados no programa STATA versão 9.0. Foram calculados a média e desvio padrão da média (DP) e realizado o teste de análise de variância (ANOVA). Para verificar a associação de variáveis qualitativas, utilizou-se o teste exato de Fisher e as associações entre as variáveis quantitativas foram estimadas através do coeficiente de correlação de Pearson, com uma confiança de 95%. O nível de significância foi de p<0,05. Resultados: Em relação ao nível deescolaridade, não houve influência na realização da prática de atividade física.
Nos PAF observa-se uma diminuição do IMC e do perfil glicêmico, quandocomparados aos NPAF. A caminhada foi a atividade física mais realizada pelosidosos (51,5%). A partir dos resultados obtidos na análise dos dados, foi possívelmostrar os benefícios que a atividade física proporciona aos indivíduos no processode envelhecimento e no bom controle glicêmico.
Universidade de Fortaleza. Departamento de Educação Física. Fortaleza, CE, Brasil Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Departamento de ClínicaMédica – Endocrinologia. Ribeirão Preto, SP, Brasil Universidade do Porto. Pós-graduação em Treino de Alto Rendimento Desportivo. Porto, Portugal.
Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Departamento de Educação Física.
Fortaleza, CE, Brasil Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Departamento de Saúde Comunitária.
Fortaleza, CE, Brasil Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Serviço de Endocrinologia e Diabetes doHospital Universitário Walter Cantídio. Fortaleza, CE, Brasil REV. BRAS. GERIATRIA E GERONTOLOGIA; 2006; 8(1); 9-20 Correspondência / CorrespondenceLuciana Zaranza MonteiroRua General Osório, 859/2214010-000 - Ribeirão Preto, SP, BrasilE-mail: [email protected] 74 REV. BRAS. GERIATR. GERONTOL., RIO DE JANEIRO, 2010; 13(1):73-81 AbstractThis study aimed to compare the anthropometric parameters and plasma glucosein elderly with type 2 diabetes who practice regular physical activity or not.
Methods: The cross-sectional study comprised 70 elderly people with type 2diabetes mellitus (DM2), aged between 60 and 80 years. Data collection was through Key words: Aged.
a structured questionnaire: a) demographic characteristics of patients (age and level of schooling) and b) characteristics of the pattern of physical activity (frequency, duration (min) and time (months) the practice of physical exercise).
Anthropometric measurements were taken and verification of plasma glucose (glyco-hemoglobin). The data were analyzed in the program STATA version 9.0.
The data was analyzed using mean and standard deviation of the mean (SD), and Study. Period Analysis.
Physical Activity.
analysis of variance (ANOVA); to determine the combination of qualitativevariables, it was used the Fisher exact test and associations between quantitativevariables were estimated by the coefficient of Pearson’s correlation, with 95%confidence. The level of significance was p<0.05. Results: Concerning educationlevel, there was no influence on the attainment of physical activity. In PAF thereis a decrease of IMC and plasma glucose as compared to NPAF. The walk was themost physical activity undertaken by the elderly (51.5%). The results obtained inthe analysis of data made it possible to show the benefits that physical activitygives individuals in the aging process and in good glycemic control.
(sentimento de velhice, estresse, depressão), existeainda diminuição maior da atividade física, que A população brasileira vem envelhecendo de consequentemente facilita a aparição de doenças forma rápida desde o início da década de 19601 e, crônicas, contribuindo para deteriorar o processo de acordo com as projeções estatísticas da de envelhecimento.8 A incidência dessas doenças é Organização Mundial de Saúde (OMS), no ano alta nos indivíduos idosos e o risco de desenvolvê- de 2025 o Brasil será o sexto país do mundo com los ou de torná-las mais graves, levando a incapacidades, deve ser identificado precocemente.
Segundo Alves & Veras,6 neste período a população brasileira como um todo estará aumentando é o diabetes do tipo 2, sendo crescendo cinco vezes mais, enquanto o grupo um fator de risco maior para morte e várias etário de idade superior a 60 anos estará se complicações não fatais que acarretarão um grande impacto aos pacientes, seus familiarese sistemas de saúde. Estudos têm demonstrado O processo de envelhecimento físico, mental e social acarreta alterações corporais que são efetivamente prevenida por modificações no importantes de serem avaliadas em um plano De acordo com o Censo Populacional de 2000, diabetes se tornou uma epidemia nas últimas os brasileiros com 60 anos ou mais já somam décadas, devido não só ao avanço na idade das 14.536.029 indivíduos, representando 8,6% da populações, mas também a um substancial REV. BRAS. GERIATRIA E GERONTOLOGIA; 2006; 8(1); 9-20 população total.7 À medida que aumenta a idade aumento na prevalência de obesidade e à cronológica, as pessoas se tornam menos ativas, diminuição nos níveis de atividade física, ambos as capacidades físicas diminuem e, com as passíveis de serem atribuídos ao estilo de vida alterações psicológicas que acompanham a idade de atividade física regular e 35 não praticantes de indivíduos entre 30 e 75 anos de idade foi estimada em 4,2%, sendo que aproximadamente 70% estavamem uso de hipoglicemiantes orais ou insulina.11 Para realizar a coleta de dados, utilizaram-se os seguintes protocolos: medidas antropométricas e Sedentários apresentam maior ocorrência de verificação do perfil glicêmico (glico-hemoglobina).
diabetes e obesidade do que indivíduos que fazem Os parâmetros antropométricos avaliados foram: atividade física.12 Esta última se associa peso, estatura e Índice de Massa Corporal.
significativamente com a redução da prevalênciade diabetes tipo 2 e suas morbidades associadas.13,14 Peso (Kg) - Para efetuar a pesagem, foi
utilizada uma balança digital portátil Tec 130 da A atividade física exerce efeito benéfico na marca Tech Line® Brasil. Procedimento: o avaliado tolerância à glicose. A caminhada parece ser um ficava em pé e descalço com afastamento lateral modo conveniente de atividade física de baixo dos pés, ereto com o olhar fixo à frente. Verificou- diabéticos.15 No entanto, várias formas de atividade física, contanto que praticadas com regularidade epersistência, aumentam o fluxo sanguíneo cutâneo, Estatura (cm) - Material: para a mensuração
permitindo a prevenção e a reversão de transtornos da estatura foi utilizada uma fita métrica graduada vasculares que resultam em úlceras e outras em centímetros e décimo de centímetros fixada à parede e um cursor. Procedimento: o avaliadopermanecia na posição anatômica, com os pés Nesse contexto, este estudo buscou comparar os parâmetros antropométricos e perfil glicêmico instrumento de medida as superfícies posteriores de idosos diabéticos tipo 2 praticantes de do calcanhar, cintura pélvica, cintura escapular e atividade física regular (PAF) e não praticantes região occipital. A medida foi realizada com o indivíduo em apneia inspiratória e com a cabeçaparalela ao solo, feita com o cursor em ângulo de90º em relação à escala. O avaliado foi orientado para não se encolher no momento em que o cursorlhe tocasse a cabeça.
Estudo descritivo, transversal e quantitativo, realizado com idosos diabéticos residentes na Índice de Massa Corporal (IMC) - O IMC
cidade de Fortaleza, CE. A população desta determina a relação do peso corporal com a pesquisa foi composta por idosos voluntários, estatura do indivíduo. É calculado através da razão física e mentalmente independentes, entre 60 e entre o peso (em kg) e a estatura ao quadrado (em 80 anos de idade, portadores de DM2, de ambos os sexos, atendidos no Serviço de Endocrinologiae Diabetes, da Universidade Federal do Ceará Para a verificação do perfil glicêmico, foi realizada uma medida da glico-hemoglobina(Hb ), de amostra sanguínea coletada em um período não superior a dois meses do momento comprometimento de memória que prejudicasse da avaliação e uma medida de glicemia capilar em as informações a serem investigadas, com jejum. A determinação da glico-hemoglobina participação voluntária e com assinatura ou (Hb ) foi realizada no Laboratório Central, do impressão digital em Termo de Consentimento SED-UFC, num mesmo ensaio, utilizando-se Kit REV. BRAS. GERIATRIA E GERONTOLOGIA; 2006; 8(1); 9-20 Livre e Esclarecido, após orientação quanto aos da In Vitro Diagnóstica Ltda. De acordo com a objetivos e procedimentos da pesquisa. A amostra Sociedade Brasileira de Diabetes17, os valores de foi composta por 70 idosos, sendo 35 praticantes referência de normalidade são ≤ 7%.
76 REV. BRAS. GERIATR. GERONTOL., RIO DE JANEIRO, 2010; 13(1):73-81 Após as avaliações antropométricas e glicêmicas, Foram respeitados os princípios éticos e legais, os participantes responderam a um questionário de acordo com as recomendações da Resolução estruturado abordando: a) características CONEP n.º 196/9619. O projeto foi submetido demográficas dos pacientes (idade e nível de e aprovado pelo Comitê de Ética da Universidade escolaridade); e b) características do padrão de de Fortaleza – UNIFOR (Parecer nº 129/2004).
atividade física (frequência, duração (min) e tempo(meses) da prática de exercícios físicos).
Os questionários foram aplicados em forma Foram avaliados 70 idosos com DM2, dos quais treinada, composta por entrevistadores com nível 68,6% (N=48) eram do sexo feminino e 31,4% (N=22) de escolaridade superior e com experiência prévia do sexo masculino. Embora não haja diferença de de trabalho de campo. A coleta de dados foi gênero em termos de prevalência do diabetes, a amostra avaliada teve a predominância de idosos do sexo esperavam para serem atendidos pelo médico feminino, o que pode refletir a maior longevidade das mulheres em relação aos homens. Segundo CoelhoFilho,20 este fenômeno se atribui à menor exposição a determinados fatores de risco, principalmente no STATA versão 9.0, 200318. Foram calculados a média trabalho, menor prevalência de tabagismo e uso de e desvio padrão da média (DP) e realizado o teste de álcool, diferenças quanto à atitude em relação a doenças análise de variância (ANOVA). Para verificar a e incapacidades e maior frequência do sexo feminino associação de variáveis qualitativas, utilizou-se o teste exato de Fisher e as associações entre as variáveisquantitativas foram estimadas através do coeficiente de correlação de Pearson, com uma confiança de escolaridade não influenciou na realização da 95%. O nível de significância foi de p<0,05.
Tabela 1 - Frequência (% linha) e resultado do teste exato de Fisher para as variáveis “Prática de atividade
Física” e “Escolaridade”. Fortaleza, CE. 2008.
REV. BRAS. GERIATRIA E GERONTOLOGIA; 2006; 8(1); 9-20 A tabela 2 mostra a comparação entre a idade, PAF observa-se uma diminuição do IMC e do IMC e perfil glicêmico dos PAF e NPAF. Nos perfil glicêmico quando comparados aos NPAF.
Tabela 2 - Comparação entre idade, IMC e perfil glicêmico dos PAF e NPAF. Fortaleza, CE. 2008.
N a t a b e l a 3 , o b s e r va - s e o t i p o, que os idosos diabéticos praticavam alguma frequência, duração (min) e o tempo (meses) Tabela 3 - Tipo, frequência, duração e tempo que os idosos diabéticos praticam atividade física.
REV. BRAS. GERIATRIA E GERONTOLOGIA; 2006; 8(1); 9-20 78 REV. BRAS. GERIATR. GERONTOL., RIO DE JANEIRO, 2010; 13(1):73-81 A caminhada foi a atividade física mais realizada pelos idosos (51,5%), a maioria dos idosos realiza NPAF, observamos que aqueles que praticavam atividade física pelo menos três vezes na semana (65,7%), atividade física apresentaram uma diminuição do a sessão de exercícios diária durava 15 a 30 minutos IMC, se comparados àqueles que não faziam (80%) e o tempo de prática foi de 1 a 10 meses (68,5%).
nenhuma atividade física (tabela 4).
Tabela 4 - Comparação de médias de IMC entre os PAF e NPAF. Fortaleza, CE. 2008.
A tabela 5 mostra a comparação das médias se que os PAF apresentaram um perfil glicêmico do perfil glicêmico entre os PAF e NPAF; notou- Tabela 5 - Comparação de médias do perfil glicêmico entre os PAF e NPAF.
crescente nas últimas décadas, mesmo entre aspessoas idosas.23 Estima-se que entre 80% e 90% No presente estudo, observou-se um número dos indivíduos acometidos pelo DM tipo 2 são maior de participantes do sexo feminino, o que comprova o fenômeno de feminização doprocesso do envelhecimento, conforme apontam Nesta pesquisa se observou, pela avaliação Freire & Tavares.21 A feminização vem ocorrendo antropométrica, que os pacientes apresentavam desde o final da década de 80, mas há muito tempo excesso de peso, confirmando dados de outros tem sido superior, no país, o número absoluto de mulheres idosas, quando comparado ao de homens sobrepeso estão presentes na maioria dos pacientes idosos. Segundo dados da última Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílios, entre osidosos o percentual feminino vem aumentando É importante salientar que a permanência de lentamente: em 1981, com 52,6%; em 1999, com níveis glicêmicos elevados relaciona-se com sérias 55,3%; e em 2004, com 56,1% de mulheres idosas.22 complicações crônicas de alta prevalência empacientes DM2.
Sobre as variáveis antropométricas, verificamos Estudo realizado por Van et al.28 identificou a sobrepeso e perfil glicêmico acima do normal.
associação entre inadequados perfis lipídicos e níveis glicêmicos de jejum mais elevados com a REV. BRAS. GERIATRIA E GERONTOLOGIA; 2006; 8(1); 9-20 encontravam-se em melhor condição.
presença de excesso de peso e/ou adiposidadecentral, evidenciando a necessidade de intervenção O excesso de peso atinge cerca de um terço da imediata em pacientes DM2 com excesso de peso população adulta e tem apresentado tendência ou adiposidade central para melhor controle modo de atenuar e reverter a perda de massa muscular, contribuindo para preservar aautonomia funcional e o envelhecimento saudável.31 Um estudo dinamarquês demonstrou que, nos anos de 1996 e 1997, a prevalência de diabetes foi de 12,3% em homens e 6,8% em mulheres com 60 ou Leung, Paffenbarger32 têm mostrado que a prática mais anos de idade. Comparando dados da mesma de atividade física por pacientes com DM2 é população obtidos em 1974 e 1975, o aumento do importante para o aumento da sensibilidade à número de casos foi de 58% para os homens e 21% insulina. Afirmam ainda que a prática de para as mulheres. Um concomitante aumento no IMC, atividade física pode prevenir o aparecimento no mesmo período, explicaria o aumento na prevalência desta doença em pessoas que tenham um risco de diabetes.29 É interessante observar a estimativa de que 30% a 60% dos indivíduos com esta doença, nacomunidade, estejam sem o diagnóstico.26 Em relação à prática de atividade física, observamos que aqueles que a praticavamregularmente apresentavam um nível de glicêmicomelhor do que os idosos que não praticam A partir dos resultados obtidos na análise dos dados, foi possível mostrar os benefícios que aatividade física proporciona aos indivíduos no Tideiksaar30 apresenta resultados de uma meta- análise ao citar inúmeras pesquisas internacionais,mostrando a importância de programas de Na análise dos resultados obtidos, podemos condicionamento físico e de reabilitação, tanto para concluir que a atividade física proporcionou uma idosos que vivem na comunidade quanto para aqueles diminuição nas variáveis antropométricas e no institucionalizados. Os resultados mostram a eficácia perfil glicêmico dos idosos diabéticos praticantes desses programas em melhorar a capacidade funcional, a mobilidade e a independência dos idosos.
A atividade física regular vem sendo considerada minimizar o desenvolvimento precoce de doenças uma forma de manutenção da aptidão física em crônicas, possibilitando uma longevidade com indivíduos idosos, citada na literatura como um REV. BRAS. GERIATRIA E GERONTOLOGIA; 2006; 8(1); 9-20 80 REV. BRAS. GERIATR. GERONTOL., RIO DE JANEIRO, 2010; 13(1):73-81 13. Goff DC, Jr., Bertoni AG, Kramer H, Bonds D, Blumenthal RS, Tsai MY, et al. Dyslipidemiaprevalence, treatment, and control in the Multi- 1. Chaimowicz F. A saúde dos idosos brasileiros às Ethnic Study of Atherosclerosis (MESA): gender, vésperas do século XXI: problemas, projeções e ethnicity, and coronary artery calcium.
alternativas. Rev Saúde Publica 1997; 31(1): 184- 14. Passos VM, Barreto SM, Diniz LM, Lima-Costa 2. Menezes TN, Marucci MFN. Antropometria MF. Type 2 diabetes: prevalence and associated de idosos residentes em instituições geriátricas, factors in a Brazilian community—the Bambui Fortaleza,CE. Rev Saúde Pública 2005; 39(2).
health and aging study. Sao Paulo Med J. 2005; 3. Campos MTFS, Monteiro JBR, Ornelas APRC.
Fatores que afetam o consumo alimentar e a 15. Marques AP, Arruda IK, Espirito Santo AC, nutrição do idoso. Rev. Nutr, Campinas 2000; Raposo MC, Guerra MD, Sales TF. [Prevalence of obesity and associated factors in elderly women]. Arq Bras Endocrinol Metabol 2005; 49: nutricional e fatores associados em idosos. Rev.
16. Pearlman BL. The new cholesterol guidelines.
5. Veras RP, Ramos LR, Kalache A. Crescimento Applying them in clinical practice. Postgrad da população idosa no Brasil: transformações e Med. 2002; 112: 13-6, 9-22, 5-6 passim.
conseqüências na sociedade. Rev Saúde Pública 17. Sociedade Brasileira de Diabetes. Tratamento e acompanhamento do Diabetes Mellitus. Rio de 6. Alves MI, Veras RP. A população idosa no 18. SAS Institute Inc., SAS/STAT® User’s Guide, indicadores de saúde. In: Minayo MCS. Os Version 9, Cary, NC: SAS Institute Inc., 2003.
muito Brasis: saúde e população na década de 19. Conselho Nacional de Saúde (Brasil). Normas de pesquisa envolvendo seres humanos. Res.
CNS 196/96. Bioética 1996; 4 Suppl:15-25.
7. Costa EFA, Monego ET. Avaliação geriátrica 20. Coelho Filho JM, Ramos LR. Epidemiologia do ampla. Rev. Da UFG 2003 dez; 5(2). Disponível resultados de inquérito domiciliar. Rev Saúde 8. Matsudo SM, Matsudo VKR, Barros Neto TL.
21. Freire Jr RC, Tavares MFL. A promoção de antropométricas, neuromotoras e metabólicas Saúde nas instituições de longa permanência: da aptidão física. Rev. Brás. Ciênc e Mov. 2000 envelhecimento no Brasil. Revista brasileira de 9. Ong KL, Cheung BM, Man YB, Lau CP, Lam geriatria e gerontologia 2006; 9(1): 83-92.
KS. Prevalence, awareness, treatment, and 22. Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e control of hypertension among United States Estatística (2004). Pesquisa Nacional de adults 1999-2004. Hypertension 2007; 49: 69-75.
10. Sakharova OV, Inzucchi SE. Treatment of [acesso 2006 jul 20]. Disponível em URL: http:// complexities in this high-risk group. Postgrad 23. Bós AMG, Bós AJG. Determinants of elders choice between private and public health care 11. Knowler WC, Barrett-Connor E, Fowler SE, providers. Rev. Saúde Pública. 2004 [capturado Hamman RF, Lachin JM, Walker EA, et al.
Reduction in the incidence of type 2 diabetes with lifestyle intervention or metformin. N Engl 89102004000100016&script=sci_arttext&tlng=pt#back1 24. World Health Organization. Physical status: the use and interpretation of anthropometry.
EV. BRAS. GERIATRIA E GERONTOLOGIA; 2006; 8(1); 9-20 Cheadle A, Williams B, Lin E, et al. Impact of a managed-medicare physical activity benefit onhealth care utilization and costs in older adults with diabetes. Diabetes Care. 2007; 30: 43-8.
envelhecimento. São Paulo: Manole; 2005.
26. Voss L. The measuremet of human growth: a 30. Tideiksaar R. As quedas na velhice: prevenção e historical review. In: Dasgupta P, Hauspie R, editors.
cuidados. São Paulo: Organização Andrei Perspectives in human growth development and maturation. Springer; 2001. p. 3-16.
31. Fabrício SCC,Rodrigues RAP, Costa JR. Causas 27. Lima-Costa MF, Veras R. Aging and public health.
e conseqüências de quedas de idosos atendidos Cad Saude Publica. 2003 May-Jun; 19(3): 701, 0.
em hospital público. Rev Saúde Pública 2004;38: 93-99.
28. Porto F. Avaliação Postural dos Idosos de Porto Alegre-Rs com o Uso da Técnica de Moiré de Paffenbarger RS. Physical activity and reducedoccurrence of non-insulin-dependent diabetes 29. Rana JS, Li TY, Manson JE, Hu FB. Adiposity mellitus. New England Journal Medical 1999; compared with physical inactivity and risk of type 2 diabetes in women. Diabetes Care 2007; 30: 53-8.
Recebido: 25/11/2008Revisado: 24/10/2009Aprovado: 23/11/2009 REV. BRAS. GERIATRIA E GERONTOLOGIA; 2006; 8(1); 9-20

Source: http://revista.unati.uerj.br/pdf/rbgg/v13n1/v13n1a08.pdf

efspi.org

Joint EFSPI/PSI Meeting: Structured Benefit-Risk Assessment This one-day meeting was informative, enjoyable and smoothly organised. While there is a large amount of recommended reading available online, the clear presentations, with opportunity to hear personal opinions and the subsequent discussion, rewarded any effort made to travel and dedicate the time to understand current thinking in this de

proconsulting.dk

Succes i projekter: Selvom et IT-projekt er en fiasko kan resultatet af projektet godt være en succes! Denne artikel beskriver ProConsultings opfattelse af begreberne succes og fiasko, og hvordan det påvirker vores forståelse af IT-projekter. Som et case studie behandles VUE-projektet og STADS-systemet i relation til succes / fiasko begrebsmodsætninger. Hensigten med artiklen at skabe op

Copyright © 2010-2014 Medical Articles